Conheça os diferentes tipos de água de beber

Wed, 20 Feb 2019 14:33:00 +0000 / 0 Comentários

Líquido insípido, incolor e inodoro. Ou: dois átomos de hidrogênio ligado a um de oxigênio. Essas são definições básicas para a água. Mas, o que você bebe tem características que vão muito além. Cada tipo de água tem diferenças não só no processo de produção, como também na quantidade de minerais e no perfil microbiológico.

No caso da água mineral natural, a tarefa da indústria é levar ao consumidor um produto com as mesmas propriedades encontradas na fonte. O líquido precisa ter conteúdo definido e constante de determinados sais “minerais, oligoelementos (microminerais) e outros constituintes”, como classifica a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), além de propriedades que conferem ação medicamentosa, aponta o Código de Águas Minerais.

A apenas natural é aquela com condições semelhantes, mas sem presença das substâncias em nível suficiente que permita classificação como mineral. Já a adicionada de sais opera em outra lógica: a água captada passa por tratamento, sendo “preparada e envasada” com colocação de pelo menos 30mg/litro de sais de grau alimentício, entre 20 combinações possíveis de cálcio, sódio, magnésio e potássio. A água potável provida pelo sistema público de abastecimento - que pode ou não passar por mais procedimentos, como purificadores - tem outras regras específicas.

Em comum, todas têm como requisito a obrigatória ausência da bactéria Escherichia coli. No caso da água mineral, a lista de exigências de adequação é maior: inclui ainda restrição a sinais de coliformes (fecais) termotolerantes, coliformes totais, enterococos, pseudomonas aeruginosa, clostrídios sulfito redutores ou clostridium perfringens.

“Toda água mineral ou potável de mesa exerce uma ação eficaz no organismo humano, porém algumas questões devem ser sempre observadas. Obviamente que a concentração de sais minerais contidos na água mineral confere propriedades específicas no organismo, além do que uma água natural e potável de mesa possa oferecer”, esclarece o médico Marcos Untura Filho, especialista em Hidrologia.

Fora do rol das águas engarrafadas, a água de sistema de abastecimento precisa obedecer à conceituação de água própria para consumo humano disposta pela portaria de consolidação 5 do Ministério da Saúde, de 28 de setembro de 2017. O documento estabelece padrão para tolerância a substâncias que representam risco à saúde ou que possam afetar a adequação à ingestão, além de norma sanitária para todo o processo produtivo e regra para tratamento com cloro, entre outros itens. Esses parâmetros também abrangem as soluções alternativas de abastecimento, que operam sem rede de distribuição de água.

Um fator importante para quem opta por beber água fornecida por sistema de abastecimento é considerar as condições de armazenagem, pois uma caixa d’água sem a devida rotina de limpeza pode representar contaminação do líquido que sai pelas torneiras. Para reforçar, nesse caso, a fervura pode ser um recurso importante para eliminar eventuais impurezas. Alternativas são os equipamentos de filtro ou purificadores de água. Eles não cumprem o tratamento que os sistemas de abastecimento executam. O papel é o de melhorar a água para beber, recolhendo partículas e reduzindo a incidência de substâncias.

Os filtros possuem um vela central, que retém impurezas. Já os purificadores têm uma ação mais complexa, variando conforme aparelho e fabricante, que inclui diversas etapas de processamento da água e podem até ajustar o PH dela. Ambos devem conter selo de conformidade do Inmetro (Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia), que estabelece qualificações de diferentes níveis para critérios como retenção de partículas, redução de cloro e eficiência na eliminação de bactérias.

VEJA AS DIFERENÇAS DAS ÁGUAS

ÁGUA MINERAL

são águas provenientes de fontes naturais que possuam composição distintas das águas comuns. Água mineral possui características que lhes conferem ação medicamentosa.

ÁGUA ADICIONADA DE SAIS

água superficial ou subterrânea que deve ser submetida a processos físicos, químicos ou uma combinação destes, visando a obtenção de água, que será manipulada e envasada.

ÁGUA PURIFICADA

é a água tratada por purificadores de água.

ÁGUA POTÁVEL DE MESA

água que pode ser tratada ou retirada de fontes naturais, deve ser insípida, inodora, incolor e sem microorganismos que causam doenças.

SERVIÇO

Leia mais sobre água mineral >

> Diariamente, o público se depara com a cena de vendedores de água nos sinais da nossa cidade. No Ceará, existem mais de 200 marcas de água disponíveis para consumo, entre potáveis de mesa, adicionada de sais e minerais. Mas será tudo igual?

> Saber a diferença entre as águas disponíveis no mercado é o primeiro passo para ter consciência dos benefícios que terá para a saúde

> A água é fundamental para o bom funcionamento do corpo. A mineral tem como vantagens o alto potencial para a nutrição do organismo e os efeitos terapêuticos.

> Ceará está entre os oito estados do Brasil com maior produção de água mineral natural. São 19 empresas regularizadas junto à vigilância sanitária.

> Reposição hídrica é fator-chave para que o corpo responda adequadamente aos estímulos da atividade física e tenha a recuperação garantida.

> A água mineral natural que chega ao consumidor deve ter rigorosamente o mesmo perfil encontrado na fonte.

> Água faz bem ao corpo. A água mineral natural tem propriedades medicamentosas.

> Papel do Poder Público é de regrar os tipos de água e fiscalizar o cumprimento dos padrões. Fiscalização dá mais segurança ao consumidor.

> Nada substitui a água no corpo humano. Alguns outros líquidos têm seus benefícios, mas nenhum dá conta da demanda do organismo que só a água pode suprir.

> Atenção com armazenamento, higienização e manutenção de garrafão e bebedouro são fundamentais para não alterar características e propriedades da água

Fonte: O Povo online