As novas faces do autoritarismo de direita e esquerda nas democracias

Sat, 11 May 2019 19:32:50 +0000 / 0 Comentários

Em vez de separar governos entre democracias e regimes autoritários, a professora Marlies Glasius, do Departamento de Política da Universidade de Amsterdã, na Holanda, prefere fugir dessa divisão binária.

Ela defende procurar por práticas autoritárias ou iliberais não apenas onde governantes vestem fardas ou o poder está nas mãos de tiranos, mas também em países classificados como democracias.

Diretora de um projeto chamado Authoritarian Practices in a Global Age (Práticas Autoritárias na Era Global), Glasius explica que as práticas autoritárias são as que vão contra tentativas de responsabilizar, questionar e criticar não só governos e políticos como também empresas e autoridades. E, segundo ela, práticas iliberais são as que ameaçam a autonomia e a dignidade das pessoas, que atentam contra direitos humanos e liberdades individuais.

Para a professora, impor sigilo sobre suas próprias atividades, minar o controle popular, espalhar fake news, desqualificar a imprensa e, em alguns casos, até órgãos oficiais de governo e sufocar os mais críticos são práticas autoritárias que podem ser observadas em governos considerados democráticos e em grandes organizações.

Questionada se as práticas autoritárias usam terno e gravata nos dias de hoje, ela é categórica em dizer que sim. "Em grande medida, (práticas autoritárias) têm se tornando cada vez mais práticas de civis. E, de alguma forma, elas falam a linguagem da democracia", diz, lembrando que há lugares, como o Egito, onde são os militares que promovem práticas similares.

Práticas autoritárias são usadas pela direita e pela esquerda, diz Glasius, citando Estados Unidos, Hungria e Venezuela como casos onde se usa a linguagem da democracia para, na prática, sufocar minorias ou opiniões divergentes e críticas.

E o presidente brasileiro Jair Bolsonaro? "Eu suspeito que estamos vendo um pouco disso no Brasil também. (...) Vou ser precavida porque não sei com precisão o que ele faz e diz. Eu traria outro conceito no qual eu acho que ele pode se encaixar, que são práticas iliberais", afirma Marlies Glasius.

Fonte: BBC Brasil